Ortorexia Nervosa, quando o comer saudável se torna uma obsessão.

Dietas antes mocinhas hoje sabemos que são vilãs
setembro 6, 2017

De início parece ser um estilo de vida saudável e equilibrado que prega o consumo de alimentos frescos e sem agrotóxicos, porém com um olhar mais atento pode-se perceber um desequilíbrio no pensamento e no comportamento desses indivíduos.

A organização mundial da saúde define saúde como sendo “o estado de completo bem estar físico, mental e social” e não apenas como ausência de doença, essa definição é de grande valia para os problemas alimentares que vemos hoje, reflexos da sociedade ambivalente e dicotômica em que vivemos que divide os alimentos em proibidos x permitidos, alimentos bons x alimentos ruins entre outras definições e influenciam assim o comportamento de pessoas que já possuem uma tendência ao comportamento obsessivo.

A ortorexia nervosa é definida como um distúrbio alimentar caracterizado por uma dieta restritiva a alimentos puros, limpos, saudáveis, naturais, livres de agrotóxicos e quaisquer produtos químicos, onde grupos alimentares como grãos, açúcares, produtos de origem animal e geneticamente modificados são excluídos da alimentação, o termo ortorexia nervosa foi criado em 1997 por Steven Bratman, médico americano que descreveu esse transtorno como sendo um novo comportamento alimentar transtornado ¹.

Apesar de a motivação ser diferente, tanto os anoréxicos como os ortoréxicos restringem demasiadamente sua alimentação, a diferença é que na ortorexia existe um viés “saudável” que acaba disfarçando e dificulta o diagnóstico da doença; o isolamento faz parte dos sintomas da ortorexia, os indivíduos passam grande parte do dia pensando e planejando sobre alimentação em contrapartida o desprezo por aqueles que não conseguem seguir um padrão alimentar  “perfeito” contribui para que essas pessoas fiquem cada vez mais isoladas a grupos de pessoas que também possuem características obsessivas e compulsivas por comida².

Indivíduos com personalidade perfeccionista, rigidez, necessidade extrema de controle da vida e fortes crenças ligadas à comida, assim como profissionais da saúde como médicos, nutricionistas e outros são mais vulneráveis ao transtorno. Uma vez que para manter-se um estilo de vida “orgânico” precisa-se de um poder aquisitivo elevado, as classes menos favorecidas não conseguiriam manter este tipo de alimentação, ficando a ortorexia restrita as classes privilegiadas e as mulheres são as mais vulneráveis, pois buscam incessantemente a dieta perfeita.

O tratamento deve ser feito por profissionais especializados uma vez que a Ortorexia assim como os demais T.As são doenças psiquiátricas, o melhor tratamento é o multidisciplinar onde diversos profissionais da saúde devem acompanhar o tratamento, esses pacientes precisam de acompanhamento altamente especializado devido as possíveis co-morbidades estarem presentes. A melhor prevenção é a mudança no comportamento alimentar, mudança na supervalorização da estética e do corpo perfeito.

Dra. Camilla Meizler – Nutricionista Comportamental e Life coach.

 

Bibliografia

  1. Ortorexia Nervosa: Reflexão sobre um novo conceito
  2. Ortorexia nervosa e Transtorno obsessivo-compulsivo: Qual a relação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *